terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Tropeços e quedas


As coisas caminham bem. De repente um tropeço, e uma lasquinha do dedão que vai embora. Sangra, dói, mas cicatriza. E continuamos a caminhada. E agora, um tombo.
Pode-se quebrar uma perna, um braço. Mas o que dói mais é cair de cara e partir o coração. Pior de tudo é quando a gente acha que tem asas e resolve voar. Quanto mais alto a gente sobe e se delicia, maior será o tombo ao ouvir um 'eu não quero mais'. Aprendemos a caminhar desde pequenos, mas cair parece tão mais fácil. Somos frágeis sim, como porcelana. E a cada tombo, uma nova cicatriz. A peça de porcelana nunca mais será a mesma. Mas ela não perde o seu valor.

Line.


Imagem daqui.

4 comentários:

Fernanda Cirelli disse...

foi exatamente isso que eu quis dizer.

Ana D disse...

Reflexivo e profundo...Gostei...Mesmo..

simplicidade ao contrário disse...

Muito bom...
cair é sempre mais fácil mesmo.Mas é muito bom quando a gente levanta e fica pronta pra andar e cair novamente.É uma círculo vicioso mesmo neah, fazer o que ;)

Beeeijão =**

ândria Halfen, disse...

" se o meu mundo caiu, eu que aprenda a levantar." Maysa

me veio direto essa música ao ler tu post ;)

;*